Polifarmácia em idosos do programa universidade aberta à terceira idade

Niedja Maria Coelho Alves, Albanita Gomes da Costa de Ceballos

Resumo


Introdução: Polifarmácia é o uso de dois ou mais medicamentos para um ou vários problemas de saúde. Sua prática pode acarretar reações adversas e interações medicamentosas, principalmente em idosos, que são os mais vulneráveis a esses problemas. Objetivo: descrever a polifarmácia em idosos inscritos no Programa Universidade Aberta à Terceira Idade (UnATI) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Métodos: estudo do tipo transversal descritivo, realizado com alunos matriculados na UnATI/UFPE, os quais responderam a um questionário sobre utilização de medicamentos e características sociodemográficas. Resultados: dos 159 pesquisados, a maioria dos idosos estava entre 60 a 70 anos de idade, com renda média familiar de 1,4 a 4,4 salários mínimos, segundo grau completo, tendo realizado até três consultas médicas nos últimos 12 meses, possuía doenças crônicas, sendo hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto as mais citadas. Quanto ao uso de medicamentos, a maioria não praticou automedicação, e a polifarmácia ocorreu em 78%, sendo a polifarmácia menor mais prevalente que a maior. Conclusão: devido à grande frequência de uso de medicamentos e suas potenciais consequências para a saúde, é preciso investir na educação em saúde visando ao uso racional de medicamentos pelos idosos. 

 


Palavras-chave


Idoso; Uso de medicamentos; Polimedicação

Texto completo:

PDFA


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v6i4.1910.p412-418.2018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Journal of Health & Biological Sciences

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Fale Conosco
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.